Cel 21 96992-8551 - Tel: Barra 21 3489-8966 ou 3444-5961 e Botafogo 21 2537-4968 |oliveiraalves.bruno@gmail.com
Dor no Peito 2018-08-30T11:31:39+00:00

Dor no peito

Quando devo procurar o hospital?

Procure a emergência médica mais próxima se a dor no peito:

  • For nova ou forte
  • Se associa a falta de ar
  • Dura minutos
  • Piora aos esforços
  • Assusta ou preocupa você

ATENÇÃO: As pessoas normalmente demoram a procurar ajuda quando estão sofrendo um Infarto por imaginar que a dor no peito está ocorrendo por motivos menos graves.

 

O infarto do miocárdio é a única causa de dor no peito?

Ter dor no peito não significa necessariamente que você está tendo um infarto. A maioria das pessoas que procuram a emergência com este sintoma não está sofrendo um infarto.

Problemas menos graves como distúrbios digestivos, dores musculares ou mesmo ansiedade são causas bastante comuns de dor no peito. No entanto, você não deve se arriscar. É importante procurar ajuda no departamento médico de emergência mais próximo imediatamente. Atrasos no diagnóstico e no tratamento de um infarto podem causar danos irreversíveis ao coração ou mesmo a morte.

 

O que acontece no departamento de emergência?

Em geral, as pessoal com queixa de dor no peito têm prioridade no atendimento de emergência. Idealmente, um eletrocardiograma é realizado dentro de 10 minutos e o atendimento médico ocorre com brevidade.

De acordo com as alterações no eletrocardiograma e as informações obtidas durante a anamnese e exame físico, o médico pode decidir pelas seguintes condutas:

  • Exame de sangue: Quando há lesão no músculo do coração, algumas substâncias são liberadas e detectadas no sangue. Ao detectarmos estas substâncias no sangue, há grandes chances de estarmos diante de um caso de Infarto.

 

  • Cateterismo: Quando há dor típica de infarto e alterações muito contundentes no eletrocardiograma, o paciente pode ser encaminhado diretamente para o cateterismo. Esta medida tem o objetivo de evitar danos cardíacos irreversíveis. Nesta situação, desobstruir a artéria do coração rapidamente faz total diferença.

 

  • Internação hospitalar mesmo com exames normais: Os resultados iniciais normais determinam que não há infarto naquele momento, no entanto não são capazes de determinar o risco de infarto em curto prazo. Outros métodos complementares (ex: Teste de esforço, Cintilografia, Angiotomografia das coronárias) podem ser necessários em cenários específicos.

 

Recebi alta do departamento de emergência após ser avaliado. O que devo fazer?

É de fundamental importância procurar um cardiologista! A equipe da emergência entendeu que o quadro não justifica internação hospitalar, no entanto isto não significa risco zero. A avaliação do especialista e, eventualmente, a solicitação de outros exames complementares podem fazer toda a diferença.