A maioria das pessoas fica assustada diante de um episódio de dor no peito, mas nem sempre ela é sinônimo de problemas cardíacos. Ainda assim, é importante estar atento e procurar um médico. Afinal, com saúde não se brinca.

O infarto é a causa mais séria desse sintoma, mas existem outros motivos. No entanto, ninguém deve se arriscar. Em caso de dor no peito é fundamental agendar uma consulta médica pois a demora no diagnóstico pode causar sérios danos à saúde ou mesmo levar a óbito.

Veja abaixo alguns problemas que podem provocar esse tipo de dor e fique atento:

Pneumonia: é uma infecção pulmonar que geralmente vem acompanhada de sintomas como febre e fraqueza, mas nem sempre todos eles se manifestam  e a dor no peito pode ser um reflexo da dificuldade de expansão dos pulmões ao executar a respiração.

Crise de ansiedade ou ataque de pânico: são transtornos de ordem psicológica que se manifestam através de sintomas físicos como dor no peito, falta de ar e suor excessivo.

Refluxo: o nome científico é Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE). O problema é um distúrbio digestivo caracterizado pelo retorno do conteúdo estomacal ao esôfago, que pode irradiar dores para órgãos próximos como  faringe, laringe, coração e pulmão.

Gases: quando há dificuldade na eliminação dos gases resultantes do processo digestivo o acúmulo pode causar inchaço interno e pressionar os demais órgãos, provocando dores.

Hipertensão arterial: é uma doença crônica e requer tratamento contínuo. É caracterizada por altos níveis de pressão sanguínea nas artérias.

Miocardite: é um processo inflamatório do músculo do coração provocado por vírus, bactérias, fungos ou consumo de drogas e bebidas alcoólicas.

Infarto do miocárdio: também chamado de ataque cardíaco, ocorre quando um coágulo subitamente bloqueia o fluxo de sangue para o coração. Nesses casos a dor pode irradiar para o braço, costas e pescoço e vir acompanhada de enjoo e mal-estar.

Devo ir à emergência por causa da dor no peito?

Deve-se procurar um serviço de emergência caso a dor no peito:

  • Seja muito intensa;
  • Venha junto com falta de ar;
  • Tem duração prolongada;
  • Piora quando você faz algum tipo de esforço.

De maneira geral, a pessoa que chega a um serviço de urgência com queixa de dor no peito tem prioridade no atendimento e é submetida a um eletrocardiograma. Também podem ser solicitados exames de sangue e outros procedimentos.

Após ser liberado do pronto-socorro é importante buscar um médico cardiologista para acompanhamento periódico. Assim, você ficará mais tranquilo e receberá todas as orientações necessárias.